O dia da mulher e o papel essencial da professora Rita na educação
08 MAR 2018
eliseus

No fim de fevereiro, a nossa querida professora Rita Bezerra faleceu. Não temos mais a sua presença física, mas restaram muitos aprendizados que são, sem dúvidas, imortais.

Aproveitamos o contexto de Dia Internacional da Mulher para falar, com muito orgulho, dessa mulher que via na educação uma forma de salvação e resgate; que se entregava e doava totalmente à sua nobre profissão: ensinar.

Tivemos a oportunidade de conversar com a sua filha, Lígia, e foi incrível ver a marca da sua mãe em suas intensas palavras.

“Vejo minha mãe como uma mulher que mudou o cenário da educação onde atuou, uma pessoa que tocou e encantou diversas pessoas e ajudou muitos. Uma mulher que tinha a força e a firmeza associadas à doçura e à meiguice que a marcavam. E isso fazia com que os alunos buscassem mais seu conhecimento, sua companhia. Minha mãe, com certeza, se transformou em um dos sinônimos para a palavra “educação”. Ela incorporava o papel de educadora de forma plena e levava sua postura a todos os meios em que vivia.”

Rita dava aula de Língua Portuguesa e era conhecida de forma muito carinhosa por todos do Elite. Era uma das nossas grandes mulheres que fazia a diferença na vida e na rotina dos seus alunos e companheiros de profissão. Ela se autodenominava a personificação de educação.

“Minha mãe era uma mulher de muitos adjetivos e de qualidades singulares. Ela era forte, determinada, meiga, dona de uma gentileza sem igual e de uma cortesia não existente. Tinha o olhar mais doce, o abraço mais aconchegante e a presença mais espiritualizada. Era calma na medida certa, exigente com o que deveria ser e tão compreensiva a ponto de, quase, se anular para entender alguém. Sempre dava o melhor conselho e sabia o que dizer em todas as situações – não porque fosse dona da verdade absoluta, mas porque buscava entender o outro. Minha mãe era uma pessoa única. Então, acho que esse adjetivo é o que melhor define a minha mãe: ÚNICA.”

 

A saudade é grande, professora Rita! Somos gratos por ter tido a honra de contar com você e com os seus ensinamentos por aqui.

 

“Eu me sinto do lado certo da vida: não conseguiria vender nada, julgar, nem prender ninguém. Eu preciso estar trabalhando com alguma coisa que faça com que o outro cresça e enxergue a vida de um jeito diferente. Isso, para mim, é a sala de aula. É o único lugar que eu quero estar trabalhando.” Rita Bezerra

 

Compartilhar:
  • VOLTAR

    FAÇA SEU COMENTÁRIO

    CATEGORIAS
    TAG
    RECENTES