Olimpíadas científicas: como ingressar na universidade através delas?

Você sabia que, além de auxiliar no aperfeiçoamento acadêmico, as competições, também conhecidas como “Olimpíadas Científicas”, podem ser uma forma de ingressar em universidades públicas do Brasil e do mundo?

A primeira olimpíada brasileira foi criada em 1979 e teve como foco o conteúdo de Matemática. Desde então, diversas áreas e disciplinas desenvolveram os seus torneios, dando origem a eventos como a Olimpíada Brasileira de Informática, a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica, a Olimpíada Brasileira de Linguística e a Olimpíada Brasileira de Economia.

Apoiados pelo MEC, os jogos têm os objetivos de incentivar a resolução de problemas teóricos e práticos e de promover discussões relevantes à sociedade, podendo ter abrangência local, regional, nacional ou internacional.

O nome se inspira nas olimpíadas esportivas, onde atletas treinados lutam por medalhas e cultivam laços culturais e o espírito de excelência. Cada competição tem suas especificações, como faixa etária e tipo de prova. Geralmente podem competir estudantes dos ensinos fundamental e médio e as avaliações se dão a partir de provas, trabalhos ou debates. 

A parte mais interessante é que as competições estimulam não só a dedicação e a busca pelo conhecimento, mas permitem que os participantes ampliem os seus horizontes e testem os aprendizados da sala de aula na prática o que contribui para a descoberta de novos métodos e uma possível carreira para os alunos desde cedo.

Além disso, há pontos positivos para o socioemocional também: as questões inovadoras dos testes exigem criatividade, pensamento crítico e raciocínio abstrato.

Como é possível entrar em uma universidade pública por meio das Olimpíadas de Conhecimento?

Nos últimos anos, universidades públicas brasileiras têm disponibilizado vagas para medalhistas de olimpíadas científicas: os estudantes não precisam fazer o vestibular ou Enem, é necessário apenas ter boas pontuações e colocações nas olimpíadas. Com essa possibilidade em mente, é comum que os alunos participem de várias edições das competições ao longo dos anos, acumulando certificados e experiências.

As instituições consideram que essa também seja uma maneira de promover a inclusão social, ampliando as formas de acesso ao ensino superior e reconhecendo o esforço e a dedicação dos jovens que participam desses torneios. 

As normas e requisitos de cada universidade variam e podem ser encontrados nos editais de seleção. Em geral, costuma ser feito um sistema de pontuação baseado na medalha do aluno.

A tendência é que, cada vez mais, as instituições de ensino ampliem as suas formas de ingresso, bem como as vagas para os competidores. Até o momento, cinco universidades nacionais ofereceram vagas para alunos de olimpíadas nos últimos anos. São elas:

Lucas Perondi Kist, nosso aluno do Elite Ponta Grossa, foi um dos aprovados na última seleção de Vagas Olímpicas da Unicamp. Ele passou para o curso de Estatística, que sempre foi o seu grande sonho, e contou um pouco sobre essa conquista:

“Quando eu vi meu nome na lista de aprovados, eu fiquei muito feliz e a melhor parte foi que eu não precisei fazer vestibular para entrar. Isso porque eu usei uma medalha da Olimpíada do Conhecimento, no meu caso foi de prata na Olimpíada Brasileira de Química. Nesse sentido, o Elite foi fundamental porque ele não só incentiva os alunos a participarem das Olimpíadas, como os professores e monitores são muito bons e solícitos e o material didático é excelente. Então tudo isso favorece a nossa aprovação e o nosso resultado”, relata.

Além da vaga na universidade, existem outros bons motivos para participar das olimpíadas científicas!

Superação de desafios: as competições são desafiadoras e contribuem para trabalhar o foco, a garra, o espírito competitivo e o equilíbrio emocional. Mesmo que você não conquiste a medalha ou a menção honrosa de primeira, ganhará mais conhecimento e experiência para a próxima vez. É também uma ótima oportunidade para você se aprofundar em uma matéria de interesse e analisar se isso é o que você deseja para a sua carreira.

Portas para o futuro: nas competições, você conhece alunos de todo o País e professores das principais universidades brasileiras. Esse vínculo permite conhecer mais sobre a área e participar de grupos de estudos e pesquisas.

Melhora o currículo: quantas pessoas você conhece que participaram de olimpíadas científicas? Competir e vencer esses torneios te colocam em um lugar de evidência e melhoram muito o seu currículo escolar.

Estudar no exterior: já pensou em estudar em instituições como Harvard University, MIT e University of Cambridge? Então saiba que as chances de ingresso aumentam se você se destacar em uma olimpíada internacional representando o Brasil no exterior!

 

ONElite – OLIMPÍADA NACIONAL DO ELITE

Pensando na importância das Olimpíadas de Conhecimento para o desenvolvimento pessoal e acadêmico dos alunos, criamos a ONElite Olimpíada Nacional do Elite , com objetivo de ajudar os estudantes a testarem seus conhecimentos de Português e Matemática e a se prepararem para as demais competições nacionais.

Realizada pelo terceiro ano consecutivo, a ONElite está com inscrições abertas até o dia 10 de setembro. A participação é gratuita e aberta a estudantes de qualquer instituição de ensino reconhecida pelo MEC. Clique aqui para se inscrever!

As provas e as premiações são divididas em níveis, que vão do 4º ano do Ensino Fundamental à 3ª série do Ensino Médio. Os primeiros lugares receberão medalhas de ouro, prata e bronze, além de menções honrosas. Confira o edital completo.

Escrito por:
Larissa Florentino


Posts relacionados: